“Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele tudo fará”. (Salmo 37:5)

Portugal

Portugal seria o segundo lugar onde o Bispo Paulo Roberto continuaria realizando o seu trabalho evangelístico e levando a mensagem da salvação para o povo português.

Entrevista com Bispo Paulo em Portugal

Numa reportagem feita em Portugal em Junho de 1993 o Bispo Paulo Roberto disse: “No começo foi difícil, muito difícil! Longe da nossa terra, dos nossos amigos, num lugar onde não conhecíamos a nada nem ninguém, e ninguém nos conhecia. Só o Espírito Santo nos dava forças. Ele sempre falava no meu coração: “A luta é grande, mais a vitoria é certa”.

O bispo falou acerca de alguns episódios significativos relacionados com este período inicial, os quais ficaram gravados na sua memória: “Lembro que no dia 17 de dezembro de 1989 inauguramos a Igreja Universal, na Estrada da Luz, tinham só 12 pessoas! O seguinte domingo era Natal, eu acordei cedo junto com a minha esposa, ela arrumou as crianças e fomos para igreja. Mas esse dia não veio ninguém... ¿sabe uma coisa? Eu chorei, sim pois essa foi o Natal mais triste e difícil da minha vida”.

Porém, o bispo logrou passar este primeiro obstáculo e nos diz o porquê: “Eu tinha uma aspiração muito grande em meu coração. Queria levar as pessoas ao conhecimento do Deus vivo, do Jesus que cura, libera, da vida e é o único Salvador. Eu estava determinado, ¡muito determinado! Por isso nunca desanimei. No fundo do meu coração eu sabia que essa era e ainda é a vontade de Deus.

Do ponto de vista legal, nunca tivemos problemas no desarrolho da Igreja Universal do Reino de Deus em Portugal. “A verdade sempre tivemos liberdade para pregar o evangelho do nosso Senhor Jesus e sempre fomos respeitados pelos meios governamentais portugueses” declaro o bispo.

 

O servo não é maior do que o Senhor
Certo setor de Comunicação Social tentou intensamente manchar a honorabilidade da Igreja Universal, o bispo explicou a razão desta insistência: “Vivemos num mundo egoísta, tão injusto, tão materialista, que até eu admito seja difícil para algumas pessoas acreditar que realmente exista alguém que queira fazer o bem, que tente ajudar aqueles que sofrem, aqueles que têm a vida destruída. Tudo isso é porque nunca conheceram ao Senhor Jesus. Acredito que até os homens de Comunicação Social que estão em nossa contra o fazem só pelos seus conhecimentos religiosos e nos acusam sem causa, só porque o ministério da Igreja Universal não se sujeita à tradições religiosas que foram inculcadas para eles e tampouco tentam averiguar de que lado está a verdade.

Quando lhe perguntaram ao bispo a que atribuía o crescimento tão grande da Igreja Universal do Reino de Deus ele respondeu: “Por suposto que é pela ação do Espírito Santo, eu já ouvi a muitas pessoas que disseram : ‘na Universal eu me sinto tão bem como em nenhum outro lugar’, é evidente que as pessoas terminam ficando onde se sentem bem. ¿Não é?

 

IURD - uma mão amiga
Um responsável da Aliança Evangélica Portuguesa disse que as igrejas tradicionais têm uma prática religiosa muito hermética, que não responde as necessidades do povo cristão. Pode se concluir que o sucesso da Igreja Universal resulta exatamente na sua pratica religiosa mais humanizada?

A esta pergunta o bispo respondeu: “Evidentemente este é um fato que contribui. Na Igreja Universal sempre encontra a disposição de ajudar nos momentos quando o necessita, sempre se tem uma mão amiga que se estende. Um amigo pronto para lhes ajudar sem pedir algo em troca, alguém quem ouve a aflição de quem sofre”.

“E isso pode ser qualquer dia da semana, todos os meses do ano, em qualquer horário, de dia ou de noite. Tal vez por isso pode concluir que a nossa forma de trabalhar mais humanizada e isso é o que o povo procura. As pessoas se sentem tão felizes e tão cheias de amor que desejam que os seus familiares, amigos e até aqueles que não conhecem venham a experimentar a mesma felicidade e plenitude”.

 

“Amar é dar”
Durante sua estância em Portugal o bispo conta sobre uma coisa que lhe agradou muito: “O povo português é muito carinhoso, muito amigável, me receberam com muito amor. Em Portugal eu me sinto tão bem que quando eu visito Brasil, eu logo quero voltar aqui”.

O bispo também referiu um versículo que lhe sensibiliza profundamente: “Esta foi à maior lição de amor que o mundo já viu. Amar é dar” 1 João 3:16.

O bispo finalizou a entrevista dizendo qual era o seu pensamento naquele instante: “Penso naqueles que sofrem, no corpo e alma. Em aqueles que, neste exato momento, querem e não encontram remédio para as suas aflições, para as suas dores. Penso naqueles que não conhecem os caminhos de Deus e que, por isso, se sentem perdidos na solidão. Penso que o mais cego e aquele que não quere olhar, e que este mundo esteja cheio de homens e mulheres que não querem ver a luz, só porque a sua incredulidade não os deixa seguir o caminho da salvação”.

 

 

“Esta foi à maior lição de amor que o mundo já viu. Amar é dar”. (1 João 3:16).

Este foi o primeiro templo na Estrada da Luz Lisboa, Portugal. E este foi um serviço muito especial que o Bispo Edir Macedo realizou numa visita ao país.

 

Concentração de Pavilhão de Deportes Carlos Lopezz

Concentração no Cinema Império

As primeiras concentraçãos de fé, realizadas na Europa, tornaram-se eventos históricos que foram gravados na história do que mais tarde seria o crescimento global da Igreja Universal.

 

Segunda Igreja Universal em Lisboa – Cinema Alvalade

 

O crescimento da IURD continuava sendo feito por médio da apertura de novas igrejas por distintas cidades.

Primeira emissora de Rádio em Portugal

 Assim como também a realização de programas de rádio, em meios de comunicação pelo qual, inumeráveis pessoas conheceriam ao Senhor Jesus.

 

Primeiro Batismo nas águas, realizado em Lago Azul Portuga

Foi assim no ano de 1991 se realizou o primeiro batismo nas águas em Portugal. Foi um feito fundamental para todos aqueles que realmente queriam seguir ao Senhor Jesus e ter uma nova vida com Ele.

 

< Retornar